sexta-feira, 8 de julho de 2011

Não um adeus, mas um até já.

Ok, isto é algo que ocorre por todo o mundo. E podem até já estar fartos de ouvir falar de tal coisa. Mas o facto é que desde que criança que me lembro de esperar ansioso pelo próximo livro - e mais tarde filme - da saga do Harry Potter. É uma parte de mim. Era um mundo aparte, onde eu podia pegar num pau de madeira, fazer dele uma varinha. Gritando Protego Totalum com a varinha apontada ao ar e um escudo defender-me ia de outros feitiços. E se um Expeliarmus não desarmasse o meu adversário, atingi-lo-ia com um dilacerante Sectusempra. Oh, mais um devorador da morte ao meu lado? Levicorpus! e lá está ele, pendurado no ar de cabeça para baixo. Fazendo-o voar para longe, vou a tempo de me virar para o lado, exclamando Locomotor Mortis,um devorador da morte que fugia fica com as pernas inanimadas e cai no chão. Petrificus Totalus! E o adversário que me tentava apanhar pelas costas cai petrificado no chão, direito que nem uma tábua. Ao longe, a voz de Voldemort soa, com a terrível maldição de morte nos lábios: Avada Kedavra. Mas o feitiço passa-me ao lado, destruindo uma pedra. Os estilhaços voam, eu corro por entre as colunas de Hogwarts. Abrigado no salão nobre, vejo no chão uma das bandeiras azuis e douradas da minha equipa - Ravenclaw. É icónico, ver que aquele símbolo da inteligência, criatividade, gosto por aprender, se encontra caído no chão, ao mesmo tempo que as paredes da escola desabam. Pela porta, vejo passar em corrida o Rapaz que viveu. Harry Potter, um Gryffindor de coração, corre a ajudar os alunos em perigo. É então que a vejo, a minha inimiga mortal! Aquela adversária para quem olho de baixo. Bellatrix Lestrange. Os seu cabelos negros despenteados fazem-na parecer uma Medusa de ar ameaçador. Os seus olhos encontram-me, escuros como a noite. Mas a Maldição de Morte que ela lança falha o alvo. Obscuro, grito, cegando-a. Mas não dura muito tempo, pois oiço-a proclamar Finite Encantatem. Pensa, Ravenclaw, pensa... Uma mesa partida. O único suporte é um pé precário de madeira. Expulso!, grito. O pé explode e a força da explosão atira o tampo contra Bellatrix. Reducto!, ordena. A mesa parte-se em vários pedaços em pleno ar, cuja rota é desviada. Mas antes de eu estar no seu campo de visão, aponto para o meu peito com a varinha e murmuro Evanesco. O meu corpo fica invisível. Tento correr silencioso para ela. Mas a feiticeira experiente sabe o que fazer. Homenum Revelio! E ela consegue detetar-me. Expeliarmus! gritamos em uníssono. Os feitiços fazem ricochete e embatem contra as paredes. Sectusempra! E Bellatrix cai, com alguns cortes na cara. Estou prestes a chegar perto dela, mas os seus lábios ainda são capazes de soletrar feitiços. Crucio! A maldição Cruciatus. Tortura. Caio no chão retorcendo-me. Mas alguém aparece naquele instante. Uma luz verde atinge Bellatrix e a dor cessa, assim como desaparece a luz mórbida no seu olhar, para sempre. Lá fora, Lord Voldemort é finalmente vencido por Harry Potter. Deixo-me ali, exausto no chão, sem sequer olhar para quem me tinha salvo.

E pronto, é assim que me imagino, se eu fosse um estudante de Hogwarts, na altura da batalha final entre Harry e Voldemort. Sim, a minha equipa preferida é a Ravenclaw. Tem a ver com o que a própria equipa representa, como referi no texto acima: gosto em aprender, inteligência, criatividade, destreza, perspicácia... E porque seria Bellatrix Lestrange a minha arqui-inimiga? Ora, porque é a minha devoradora da morte preferida haha!.

Sim, digo com orgulho que ainda tenho gosto em ler, imaginar esse universo saído da mente da J. K. Rowling. E porque não? Sempre fez parte da minha infância e de grande parte da minha adolescência! É parte de mim e sou parte desse mundo, e para sempre serei, assim como muitos outros por aí espalhados. Hoje, em Londres, estreou a segunda parte do último filme. Eu já senti o fim próximo quando acabei de ler as últimas linhas do sétimo livro. Mas agora, é um fim definitivo, é o adeus. Não. É um mero até já, porque a saga viverá sempre nos nossos corações e, mais importante, continuará a iluminar a nossa imaginação.

3 comentário(s):

Unknown disse...

Ai Ragdoll, pensei que era o único maluquinho por aqui LOL. Como eu te compreendo!
Apesar de gostar muito de Gryffindor, sempre me considerei um Ravenclaw.
E que venha a Parte 2!

Unknown disse...

haha! Ravenclaw for the win!! xP
Mesmo, que venha a parte dois, que já há muito espero por esse filme! xP

adorkably_silva disse...

pfft, cartaz, és tão estúpido, e ainda por cima eu tenho-te em casa. #facepalm
óbvio que não acaba nunca. como é que o harry diz, só acaba verdadeiramente quando mais ninguém lhe for leal.
(o harry é um poeta meudeus /shoot)
eu sempre me imaginei assim também.. só que axhava mesmo esquisito.. tipo querer ser também protagonista do livro, principalmente o harry, que é a personagem com quem me julgo mais parecida... imaginava-me sempre a lidar com as situações como ele lidaria. um bocado fail, mas era feliz. :')
e a bellatrix também é a minha devoradora da morte preferida!

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D