terça-feira, 12 de março de 2013

Pelas tuas de Lisboa ao som dos The Script

 

Hoje o dia passou tão lentamente que até doeu, pelo menos a parte das aulas. Não é que eu não goste do meu curso, até porque estou a gostar mais deste semestre do que do semestre passado. Sinto-me até um pouco mais motivado para estudar, mas caramba, às vezes aborrece-me ter de apanhar o comboio às seis e quarenta da manhã, especialmente a parte em que tenho de acordar obscenamente cedo.

Mas faço uma caminhada de 20 minutos duas vezes por dia, todos os dias da semana, da estação de comboios para a faculdade, ir e vir. E até gosto de andar. Gosto de sentir os músculos das pernas a trabalhar, a arderem depois do esforço. E acalma-me, por incrível que pareça, o ritmo, o deslocar do ar à minha volta, os movimentos, os sons, os cheiros, as imagens da cidade lisboeta.

Normalmente caminho sozinho, ao meu ritmo. Não me perguntem porquê, mas gosto de retirar esse momento para pensar, meditar, nem mesmo ouvir música me faz parar de o fazer, pelo contrário, muitas vees o facto de estar a ouvir música redireciona os meus pensamentos.

Hoje não conegui parar de ouvir a Science and Faith dos The Script. Deixo-vos o refrão:

And of all the things that she's ever said
She goes and says something that knocks me dead:
"You won't find faith or hope down a telescope
You won't find art, it's only the stars
You can break everything down to chemicals
But you can't explain a love like ours
It's the way we feel, yeah, this is real"

 

2 comentário(s):

Anónimo disse...

Ruas@ Aproveita para tirar umas fotos. E um bom passatempo.

James disse...

Hum, ora que até nem é mal pensado... Qualquer dia tenho de fazer isso :)

Enviar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D