domingo, 27 de fevereiro de 2011

Que constrangedor...

O dia de hoje correu muito bem. Se tirarmos certas coisas que ocorreram... Bom, começando a história pelo início, fui sair com o meu melhor amigo e a minha melhor amiga, o J.T. e a Bia. Fomos dar uma volta pelo Vasco da Gama e pelo Parque das Nações. Até aí tudo bem, mas, conversa puxa conversa e acabei a comentar que o rapaz que gostava de mim já me tinha esquecido. Eu estava cheio de vontade de lhes contar sobre mim, mas esperei um pouco mais, para saber as suas reacções. O J.T., como sempre, quando o assunto o incomoda, simplesmente fica calado. A Bia, diz o que não deve... Ela comentou logo "Mas que o rapaz era gay já todos sabiam!" e não se ficou por aqui, continuando "Já viste o que era, eu ter um melhor amigo gay? Bah, que horror". Nesta altura estávamos a atravessar a estrada e eu só dizia para comigo "oh, deuses do Olimpo, por favor, façam com que aquele carro avance e me leve desta para melhor...". Mas ela ainda não tinha dito tudo o que tinha a dizer: "Claro, mas se fores gay, não precisas de ter medo de admitir, que eu não tenho nada contra isso, até porque o meu cantor preferido [George Michael... sim, o vocalista dos Wham!, sim, essa é aquela banda que cantava o "wake me up, beforee you go-go..."] é homossexual...". Ela olhou falou num tom como se desconfiasse de algo. Lembro-me de ela me ter contado que o rapaz que gostava de mim lhe tinha dito que eu precisava dela neste momento e que precisava que ela passasse tempo comigo. Tenho medo que ele lhe tenha contado a razão pela qual eu necessito do apoio dela... Foi um momento um bocado constrangedor. E eu fiquei calado, sem lhe responder nada, como que num impasse. Acho que transmiti a mensagem que há algo que lhe estou a esconder. Isso não me agrada, porque ela é completamente honesta comigo e conta-me tudo o que se passa na vida dela (incluindo as cenas mais eróticas que ocorrem com o namorado mas que não incluem sexo...). E nisto, não sei o que fazer... contar-lhe, não contar... Já estive mais certo da minha decisão, mas, neste momento, sinto-me isolado e perdido.

2 comentário(s):

Anónimo disse...

Olá. Gosto do blog, continua o bom trabalho.

Quanto ao assunto do post, eu se fosse a ti não contava. Não me pareceu que os teus amigos fossem muito receptivos, por mais que a tua amiga diga o contrário. Por mais que te sintas mal com isso, uma coisa são as brincadeiras eróticas de uma casal hetero (nada de mais), outra coisa é uma pessoa ser gay (algo que na actual sociedade pode causar problemas). Se tens necessidade de desabafar usa o blog, vais ver que até recebes feedback.

Fica bem :D

Unknown disse...

Olá, Francisco. Obrigado pelas palavras de encorajamento :)

Quanto aos meus amigos... Ela parece ser mais receptiva do que ele. Eu acho que até compreendo um pouco o ponto de vista dela, porque acho que ela não conhece ninguém que seja homossexual (ou que pelo menos ela tenha conhecimento disso...) e isso pode-se tornar um pouco estranho porque ela não saberia lidar com a situação... Mas acho que, realmente, por enquanto, vou seguir o teu conselho e usar o blog para desabafar. Veremos onde onde isso vai chegar... :) Mas eventualmente, um dia, ela terá de saber, até porque já a conheço desde sempre e ela conhece-me melhor do que ninguém e perceberá que algo se passa. Não lhe vou mentir, caso ela pergunte, mas por enquanto, vou ocultar, para bem dos dois... Quando ao J.T, já o conheço há onze anos e ele ainda me continua a surpreender, por isso, com ele ainda tenho de ter mais cuidado... Mas pronto. Ficam registadas as tuas sugestões ;)

Obrigado pela ajuda :P

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D