segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Entorpecido

Sinto-me num mundo que não é meu. Acordei assim, acho eu... Talvez seja um sentimento que sempre tenha estado presente, apenas oculto... Isto desperta outros sentimentos em mim, como o de frustração. Cada vez que viro uma esquina na escola, esbarro com um casal de namorados. E fico com raiva por a sociedade criar preconceitos dogmáticos que me impedem de ter o mesmo, sob a pena de ser espezinhado até por aqueles que mais próximos me são. E isto leva ao sentimento do abandono e solidão. Sim, eu sei que não sou o único no mundo a passar pelo mesmo, tenho consciência disso, mas isso não torna a situação melhor do que ela é. É como uma facada nas costas. Sinto-me sozinho, e começo a sentir que todos me viram as costas. Ou pelo menos, sinto que me as virariam se soubessem quem eu realmente sou. E, por causa disso, sou obrigado a manter-me numa prisão que é o meu próprio corpo. De novo, sinto-me frustrado. Sinto-me traído. Não só com os outros, mas também por mim próprio. Esse sentimento de traição do nosso próprio corpo é esmagador. É capaz de me deitar abaixo mesmo nos dias em que me sinto mais bem disposto. Olho à volta e pergunto-me: "Será que ele passa pelo mesmo que eu?", "Será que há alguém que me compreenda?". Deve haver. Mas sinto que não pertenço a este mundo. Se eu pertencesse a este mundo, não teria todos os medos e receios que tenho... Dou voltas entre suspiros durante a noite sem conseguir dormir. Estou prestes a explodir. já sinto o pavio em ignição. Tento a todo o custo deitar água por cima do fogo e impedir esta bomba de se libertar... Mas estou a ficar sem forças para lutar contra isto.

Tumblr_ld5a36wtu61qbospho1_400_large

6 comentário(s):

Anónimo disse...

É claro que pertences a este mundo. Esses medos são naturais, mas não deves pensar muito nisso. Pensa que há muitos rapazes como tu… e que um dia vais encontrar um e vais ser feliz.

Unknown disse...

Pois, é isso que eu tento fazer, mas ás vezes é inevitável que o assunto me passe pela cabeça... E eu realmente sei que há bastantes rapazes como eu, mas isso ainda me entristece mais, ao pensar que o mundo é cruel o suficiente para fazer sofrer pessoas que apenas amam de forma diferente... Mas continuo com esperanças de ser feliz :)

Wolverine disse...

È natural, claro, que penses nesse assunto e que te sintas como te sentes.
Eu próprio já o senti, e às vezes, ainda sinto. Por isso, até como afirmas, esse sentimento é partilhado.
Mas não penses que estou a dizer que és só mais um a sentir o mesmo. Claro que não.
Cada pessoa é um mundo.
E eu acho que, às vezes, é bom deixar que os outros consigam encontrar terra no nosso mundo, para que não andem à deriva.

se é que me faço entender ;)

Unknown disse...

Sim, percebo perfeitamente o que queres dizer :) Acho que é uma questão de continuar à procura do meu porto seguro, enquanto flutuo neste mar de incertezas.

ViNny Fernandes disse...

pareçe até que me vi no espelho, somos todos iguais...

Unknown disse...

Todos iguais, mas cada um à sua maneira ;p

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D