domingo, 19 de junho de 2011

Um Soco no Estômago...

Foi o que senti hoje...

Acho que as coisas me caíram em cima. Talvez seja só um dia mau? Espero que sim.

Senti um soco no estômago.

Porque tive saudades de algo que tive em tempos, mas que já não tenho.

Porque sei que há coisas na minha vida que não são exatamente o que eu quero.

Porque sei que há coisas na minha vida que são exatamente o que quero, mas que me assusta que as queira.

...

Passaram vinte minutos desde que acabei de escrever a frase acima. Desde então tenho apagado e rescrito o texto.

As palavras já não me saem como eu quero. Que é feito de mim?! Será que perdi a última coisa sobre a qual tinha controlo? Até mesmo as palavras se revoltam contra mim, já não chegava o meu próprio ser revoltar-se contra o que fiz, por saber que o que fiz torna errado o que quero realmente fazer?!

E o que quero eu?! Tenho medo de não saber o que quero. Mas sei. Eu sei bem o que quero. Sei perfeitamente. Mas nem sempre o que quero está de acordo com o que é correto, com o que é bom para mim, com o que não me vai magoar. Tentei agradar a um, pensado que me agradaria a mim. Mas as coisas não foram assim. Porque a tentar agradar a essa pessoa, senti-me deslocado. Senti que as pessoas à minha volta não concordavam com aquilo. E sei que vou sair magoado desta situação. Ou pelo menos um de nós vai. E se for essa pessoa, a culpa vai dominar-me, como sempre fez. Nunca tive problemas em ir contra os preconceitos da ociedade. Mas nunca me senti bem em ir contra os conselhos dos que me são mais próximos.

E porque raios neste mundo o que eu quero é sempre o impossível? Porque raios neste mundo o que eu quero é sempre aquilo que sei que é impossível de ter? E porque raios neste mundo o que eu quero vai sempre contra os ideais da sociedade?

Será que neste mundo há lugar para mim?

Será que eu serei capaz de emendar os meus erros?

Ou será que me vou acobardar e viver para sempre com eles?

...

Não quero... Por um lado, não quero viver com os meus erros para sempre. Por outro, não tenho a coragem de os emendar.

Porque é que tinha de ser agora? Porque é que tinha de me sentir assim tão deslocado neste momento? Porque é que tinha de me sentir tão perdido, sem saber como, ou o que fazer, sem ter nada por garantido? Ou por só ter garantido que vou magoar-me, quer emende os erros, quer não...

Mas será que tenho o direito de emendar os meus erros, sem olhar a quem magoo com isso?
Mas será que tenho o direito de manter os meus erros, sem olhar ao que me deixa neste estado?

...

Estou a desabar. O meu mundo - a escrita -, até mesmo o meu mundo se está a virar contra mim! Aquelas a quem eu chamava minhas súbditas, por expressarem o que eu queria expressar, mesmo que não fosse o que eu sentia, estão  revoltadas. As palavras já não querem expressar exatamente o que sinto... Será que é porque o que sinto é confuso? Irracional?

Nunca fui muito à bola com pessoas inconstantes, que parecia que não sabiam o que queriam.
Agora, não vão muito à bola comigo mesmo, porque me sinto inconstante, apesar de saber o que quero.
E agora sinto compaixão por essas pessoas inconstantes.
Só estando nesta situação é que se consegue compreender o quão avassalador isto se pode tornar.
E arrependo-me de ter sido duro com amigos meus que passaram por isto.
O que eles queriam era o meu apoio e os meus conselhos, não o meu julgamento. Para serem julgados, já lhes bastava a eles próprios...

E sinto um soco no estômago. Uma vontade de desaparecer. Este mundo é cruel para mim.

Pergunto-me que mal fiz eu para merecer isto?

Estúpido. É óbvio que sei o que fiz mal para merecer isto. E isso corrói-me. Porque não estou a ter mais do que o que mereço.

5 comentário(s):

Anónimo disse...

Não sejas tão duro contigo. Sei que a frase está gasta mas "errar é humano". E com os erros aprendemos e depois fazemos melhor. Tudo tem solução, nunca te esqueças :)

Anónimo disse...

Um dia destes li algures que
Neste mundo, a únicas coisas que temos garantidas é que nascemos e morremos. Pelo meio, é tudo um monte de incertezas

e eu pensei Indeed!

o que é a incerteza se não um meio-caminho para a descoberta?

O que tu queres tem e deve estar de acordo com os Teus valores morais, procurando preservar a tua auto-estima. Primeiro tu, depois eles.

Eu não tento corrigir os meus erros mas sim compensá-los.
Se os erros já foram cometidos, agora o que interessa é saber como vou lidar com as consequências.
Se puder, tento outra vez de outra forma.

A minha professora de matemática disse-me que um erro acontece quando uma pessoa se perde. Sempre que não chegava à solução, ela perguntava-me
Onde foi que te perdeste?
e eu tinha que reconher que o melhor caminho era começar do início. E chegava à solução com um sorriso nos lábios.

Quanto à parte da constância, eu só conheço constantes na matemática. E na vida, paradoxalmente, a única coisa constante é o facto de estarmos sempre a mudar.
Dia após dia.
Quanto a mim, considero-me bastante irrequieto, sim.
Mas é por saber precisamente o que quero e quando quero que sou assim.


Pronto, foi um desabafo face ao teu mood de hoje :P

Ps. Agora não vou à bola com ninguém, mas antes costumava fazer uns torneios aqui no bairro :P

Anónimo disse...

Ah! esqueci-me de acrescentar que o James que eu conheço ( ou do pouco James que conheço xD ) consegue sempre dar a volta por cima. Ou melhor, consegue sempre saltar por cima, nem que seja a fazer Parkour.

Por isso, it's a matter of time!

Unknown disse...

Francisco, infelizmente, ser duro comigo próprio é um dos meus defeitos... E espero que sim, que tudo tenha resolução...

Anónimo: Esta mensagem do Parkour matou-me a rir! Adorei a comparação ;P

Já percebi que és um dos contatos que eu tenho no msn, pois creio que foi lá que leste essa frase, que era exatamente a que eu tinha no msn xP E realmente, às vezes eu devia ouvir um pouco das minhas palavras...

Espero conseguir enfrentar esta situação, tal como faria se tivesse de saltar de uma margem para a outra de um vazio entre duas estruturas urbanas... Enfim. Só me pergunto porque é que não assinas-te! Assim não sei quem foi a alma que desencantou essa comparação genial e inspiradora xP

Cheers! :)

Unknown disse...

P.S. Sei de uma certa pessoa que me torceria o pescoço se eu não me desse ao trabalho de corrigir aquele "assinas-te" para um "assinaste"... xD

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D