quinta-feira, 10 de março de 2011

Até dava um título... Mas falo sobre tanta coisa que deveria ser algo do género: um apanhado de tudo o que aconteceu nas férias...

As aulas recomeçam hoje. As férias de Carnaval pareceram-me curtas e longas, ao mesmo tempo. Como é que é possível? Bom, curtas, porque, agora que olho para trás, vi que foram apenas três dias, mas longas, porque não tinha grande coisa para fazer... Mas várias vezes olhei para o relógios e me surpreendi com as horas, por ser muito mais tarde do que imaginava... Devo admitir que não dei muito tempo à conversa com os amigos... Tenho estado mais concentrado aqui no blog e em aproveitar o tempo para jogar (Fable, principalmente...). Sei que isso não é bom, mas quis tirar umas pequenas férias do meu mundo, ou, pelo menos, de parte do meu mundo. Sinto-me sempre receoso por pensar "Oh, e se ele/a soubesse que eu sou gay...?", ou então "Se eles soubessem será que continuariam a falar comigo? Falariam mal de mim nas minhas costas?". Ok, eu vou ser sincero, nunca dei demasiada importância ao que os outros dizem, mas sempre lutei pela aprovação deles. Com limites. Não deixo de comer só porque dizem que sou gordo (e não sou, aliás, estou bem assim, acho eu, nem muito gordo, nem muito magro... podia era ser um bocadinho mais atlético... mas isso toda a gente quer...), nem fico deprimido só porque dizem que algo não me fica bem... Por exemplo, tenho uma amiga minha que não gosta da minha boina. E está sempre a dizer que não me fica bem e para tirar aquilo da cabeça. Mas hei, eu gosto. Além do mais, sinto-me um pouco menos vulnerável. É que com a boina posso esconder os olhos. Eu não gosto muito que as pessoas me olhem nos olhos, a não ser durante uma conversação ou algo do género. Principalmente porque eu acredito que os olhos são o espelho da alma e, quando eu quero perceber a reacção de alguém, a primeira parte da face para onde observo é, isso mesmo, os olhos. Não gosto que haja pessoas que sejam capazes de me ler assim, sem que eu o queira. Mas há gente capaz de o fazer e é dessas pessoas que mais tenho medo, porque são elas que me conhecem bem. Às vezes conhecem-me tão bem que até percebem que há algo a preocupar-me apenas pela forma como escrevo no msn ou nas sms. De qualquer das formas... Estive a pensar em arrumar o quarto durante as férias. Mas fui adiando. E ainda não o arrumei... Também pensei em fazer o trabalho de Filosofia... Mas é só para entregar na Terça. Por outras palavras, ainda não o fiz. Nop, acho que não fiz nada de produtivo. Oh, pus músicas novas no mp4... Serve? Não? ok... Queria mesmo adiantar a leitura do livro que estou de momento a ler, mas nem isso consegui fazer. Sinto que estou a perder as rédeas da minha vida... Tenho de as agarrar de novo, ou ainda acontece algum desastre inconveniente...

Um aparte... Tenho pensado. E uma amiga minha (que lá conseguiu arrancar-me dois dedos de conversa ontem...) disse que isso não me fazia bem. Eu fiquei parvo a olhar para a mensagem. (Ah, pois, ela é uma daquelas pessoas que sabe que há algo que me preocupa apenas olhando para a forma como escrevo. E apercebeu-se que há algo que me preocupa. Mas eu não quis contar-lhe... Já estive tentado a fazê-lo. Mas... Vou manter a história curta: ela é a minha ex. É uma razão para não lhe contar... por enquanto.). Perguntei-lhe porque é que ela achava que pensar me fazia mal. ela respondeu que eu pensava demais. E, ao pensar tanto nas coisas, só arranjava consequências para as minhas acções e acabava por não fazer nada com medo do que pudesse acontecer de seguida. Auch... O pior é que sei que ela tem razão. Mas ainda pior é que não consigo evitar pensar nas consequências. Não é a minha onda, atirar-me de cabeça. Quem o faz, acaba magoado. Pelo menos é o que vejo à minha volta. Quem se atira de cabeça, das duas uma, ou acaba magoado, ou magoa todos à sua volta de tal maneira que as coisas acabam por lhe cair em cima mais cedo ou mais tarde. Atirar-me de cabeça não é bem o meu estilo. Nunca sabemos o que encontraremos lá em baixo.

P.S. Hoje tenho teste de matemática. Vai sair a parte da trigonometria e das funções fraccionarias irracionais. Não tem nada que saber, é só quando temos uma incógnita num radical... Ok... esqueçam, sou mesmo nerd xD 

2 comentário(s):

Wolverine disse...

Em tempos também joguei Fable :D. Gostava de ter conseguido ir até ao fim... um dia talvez o acabe.
A procrastinação é um bicho que, não raras vezes, também me morde.
O importante é saber gerir o tempo para cumprir prazos.


Os olhos alheios sempre foram uma parte do corpo a que sempre dei mais atenção, quer pela cor da íris, quer pela pupila.
Desde que descobri que a pupila se pode dilatar ou contrair de acordo com a experiência emocional da pessoa, fiquei ainda mais atento.
(e mais cauteloso, também!)

Espero que o teste te tenha corrido bem.

Unknown disse...

yap, o teste correu bem , borigado.

Essa da pupila a dilatar-se fez-me lembrar uma piada... Anyway, sim, eu por acaso já sabia do pormenor que a pupila também reagia de acordo com as emoções da pessoa ;p (Já não me lembro é onde vi isso... talvez no Lie To Me)

E eu posso gabar-me de ter chegado ao fim do jogo e ter derrotado o Jack o Blades Muhahahaha xD

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D