segunda-feira, 14 de março de 2011

Sou uma dona de casa desesperada...

Hoje de manhã acordei-me um pouco mais cedo do que o costume e pus-me a arrumar e limpar o quarto. Bom, arrumei primeiro... Já não faço as limpezas à tanto tempo que já nem sei onde a minha mãe guarda a vassoura (eu sou terrível...). Mas pronto, eu até sou (mais ou menos) arrumadinho e só demorei meia hora a por as coisas no seu devido lugar. Depois varri o chão (sim, lá encontrei a vassoura, estava na despensa...) e fiz a cama. Digo que sou uma dona de casa desesperada porque não aprecio muito arrumar o quarto. Às vezes até me dá a vontade, mas hoje não foi um dia desses. Quando arrumo o quarto sem vontade, costumo poro mp4 ligado às colunas e vou ouvindo. Mas hoje ainda era muito cedo (como quem diz, eram já oito...) e não quis acordar os vizinhos, por isso acabei por não por música. Os meus pensamentos começaram a divagar. Comecei a imaginar que eu estaria a fazer a cama e o meu namorado imaginário (epá, um tipo ás vezes tem de puxar pela imaginação quando não tem, não é?!) entrou no quarto, de mansinho, pondo-me os braços à volta da cintura e dando-me um beijo no pescoço. Deu-me os bons dias e perguntou-me se eu queria ajuda. Bom... Por mais perfeitos que os namorados imaginários tenham, não são verdadeiros, por isso, foram boas intenções, mas não deu com nada... Não pensei que sou maluco que ando pela casa como se estivesse um rapaz (todo bom, se me é permitido dizer...) a passear-se pela casa e aos beijos comigo e tal. É só que ás vezes ponho-me a imaginar como seria se essa pessoa existisse, sabem? Aposto que muitos de vocês já o fizeram, mesmo que involuntariamente e por pouco tempo...
Passando à frente, depois de já melhorada a febre com delírios, fui comer, vestir-me e lavar o os dentes...Até tive tempo de me aleijar a matar uma traça -.- Digamos que subir para cima do bidé para chegar lá ao tecto nunca foi uma boa ideia... Mas enfim, eu estou sempre a ter más ideias...
Agora ponho-me a olhar para o quarto... Que farei quando a família estiver toda aqui presente para o aniversário da minha mãe, hoje à noite? Provavelmente vou tomar conta dos primos e da prima... E conversar com a minha avó. eu sempre gostei de falar com ela. Gosto de ouvir as histórias do passado que ela conta, as coisas que ela ensina, as artimanhas práticas de aproveitar tudo o que está à mão para fazer algo de útil e agradável. A minha tia também é assim... Sai à mãe. E depois o meu pai e o meu tio, quando se juntam, dá sempre brincadeira. Elas há anos que batalham para saberem qual deles faz a melhor caipirinha... Já provei a do meu pai e não gostei. Provei a do meu tio... até se bebe. Ok, eu não sou muito apreciador de bebidas alcoólicas (leia-se oideio bebidas alcoólicas), mas a caipirinha do meu tia é agradável. Por isso, se até alguém pouco apreciador como eu gosta... desculpa papá, podias até pensar que tinhas a paternidade do teu lado, mas esta vez o aroma ganhou a ronda...
O meu almoço vai ser salada de tomate-cereja (aqueles pequeninos, redondinhos... Oh, meu Deus, porque é que isto não me soa nada bem?...), queijo-fresco, ovo, fiambre, atum e orégãos *.* Um dos meus pratos preferidos, se querem que vos diga. Não é que eu esteja em dieta, até porque eu não preciso de dieta, mas estou com vontade de comer isso (:
Pois... Mas até há hora de almoço, ainda falta. E para quem se levanta às oito e entra à uma e meia... Bah, momentos de seca. Ou não... Lá devo arranjar qualquer coisa para fazer, que mais não seja ler. Por falar em ler :O Esqueci-me de começar a ler Os Maias... Bloody hell... Sou capaz de fazer isso... Ou de fazer o tal trabalho de filosofia que tenho para fazer desde quarta-feira anterior a esta última...
Bom fico-me por aqui, por enquanto.

Cheers!! : D

0 comentário(s):

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D