sábado, 2 de abril de 2011

And as I was suspecting...

Pois, como eu suspeitava, as coisas não correram bem. O meu pai começou a insistir para eu me ir calçar, e eu disse que não queria ir. Bom, não disse, mas demonstrei. Após alguma insistência por parte dele, finalmente levantei-me e fiz o que nunca tinha feito. Falei com ele, enfrentando-o. Já tinha falado com ele, obviamente, para lhe contar alguma coisa, para ele me contar alguma coisa... mas era sempre troca de informações. Sempre que eu o queria contrariar, mantinha-me calado. Claro, reparei que isso só servia para o fazer ficar mais irritado. Então, como disse, levantei-me da cadeira e, como sempre faço quando estou nervoso, falei (demasiado) calmamente, exactamente com estas palavras:
- Posso apenas dizer um coisa?
- Antes de dizer o que quer que seja. - Interrompeu o meu pai. - Lembra-te que não te opuseste nem disseste nada quando a tua mãe te mandou ir tomar banho, ninguém te obrigou a ires vestir-te.
- sim, mas não era hoje que eu ia cortar o cabelo? - Perguntei.
- Pois, agora é por causa do cabelo.
Aqui tive vontade de lhe dizer "acredita no que quiseres" mas abstive-me e continuei.
- Da outra vez que isto aconteceu, tu ficaste chateado, porque eu fiquei calado, sem dizer nada. Ontem ou anteontem, eu falei contigo, disse o que achava. Contou para alguma coisa? Não. Não contou para nada.
E estava prestes a sentar-me quando ele continua.
- Então e amanhã, querias ir sair, eu não me importo de te deixar sair, mas vinhas connosco. eu não estou a pedir para vires, eu estou a pedir para vires connosco!
- Mas eu já disse que não me sinto bem no meio de tanta gente desconhecida.
- Mas eu não me sinto bem em ir sem os meus filhos!
Segunda vez que ele usa a técnica a culpa... Pouco antes tinha começado a dizer para eu ir, que as pessoas estavam a contar connosco, que investiram no almoço a contar connosco... O mais é incrível é que eu nunca tinha dito que ia, de fato, até tinha dito que não estava com vontade de ir.
- Então e porque é que não te sentes bem em ir sem os teus filhos?! - Perguntei... Estava a começar a dar uma deixa para lhe contar a segunda razão...
- Porque somos uma família! Ou só és meu filho para eu te dar de comer, pôr roupa no corpo e um teto por cima da tua cabeça?
- Não! - Aqui a minha voz sai-me esganiçada de indignação.
- Então?!
- Eu já disse, trata-se de eu não me sentir bem!
- Pois, e eu também já disse que não me sinto bem em ir sem os meus filhos.
Eu ainda abri a boca, para lhe contar que também não queria ir porque não queria confrontar vários casais felizes quando eu não podia ter o mesmo devido a quem sou, mas não devia ser mesmo a altura, porque ele deu meia volta, sem dizer mais nada, sem me deixar dizer mais nada, e saiu.
eu ter-lhe-ia dito que estava a fazer uma má comparação com o eu ir amanhã sair com a Bia e o JT, porque é completamente diferente sair com duas pessoas que conheço à onze anos do que sair com mais de cinquenta que não conheço de lado nenhum. E seria também muito diferente de ir a um jantar de família, ir tipo ao restaurante com os meus tios ou os meus avós, ou ir jantar a casa deles... Isso é jantar de família e aí poderia sentir-se mal sem ir com os filhos que são família... Agora, ele vai a um jantar de amigos deles! Eu não me importo de não levar os meus pais a sair com os meus amigos, caramba até agradeço que eles não venham. Ok, não é uma boa comparação, admito... Mas onde quero chegar é que, lá por sermos pai e filho, não significa que tenhamos de ir às mesmas saídas de amigos, ainda por cima com os amigos do outro que não conhecemos. Neste momento, nem sei bem como me sinto. Tenho vontade de berrar de irritação por ele ficar chateado comigo até mesmo quando sou honesto e directo, e vontade de chorar por perceber que se for honesto e directo com ele, me posso vir a magoar... E essa é a pior parte, que me faz relembrar ainda mais vivamente porque é que eu tenho tanto receio de contar aos meus pais que sou gay. Isso vai contra o que eles acham normal. Sei disso, porque oiço os comentários desdenhosos que fazem sobre os homossexuais. é terrível, estar a jantar, em frente ao teu pai, e, de repente, ao falar sobre a minha vida, ele acaba a mencionar o Miguel (que tem os tiques, se é que me entendem... Diga-mos que a sua postura faz as pessoas desconfiar...), e a dizer: "Vê lá, não vires para o lado errado haha !". Essas coisas deitam-me abaixo. e eu ainda pensava, defendendo-o: vá lá, ele só diz isso porque não sabe que tem um filho gay... Mas depois à pequenas coisas que acontecem ou que ele diz que me fazem querer ainda mais esconder o que sou... 


Acho que bati no fundo.

6 comentário(s):

K. disse...

Falta de coragem para dizeres aquilo que sentes ao teu pai ??
Porque não lhe mostras o blog?? Tens aí tudo! Tudo aquilo que sentes em relação àquilo que és, àquilo que sentes :))

Adoro ler o teu blog, sempre que cá venho, tens sempre novos posts!! às vezes até se torna dificil acompanhar-te ! :))

Abraço, K.

Unknown disse...

Para ser sincero, sim, já me passou pela cabeça mostrar o blogue ao meu pai... Mas é uma daquelas coisas em que tenho de me preparar mentalmente para o que daí vier...

Ainda bem que gostas de ler ^.^ [Ser difícil de me acompanhar é bom ou mau...? x]

eu tenho o defeito de escrever imenso, e muitas vezes, por isso é que estou constantemente a colocar novos posts... x) Can't control it.

Cheers! :P

K. disse...

é mau para mim que não consigo acompanhar ! é muito bom para o blog !! :b
Pelo menos há sempre coisas novas. eheh ^^

Sim, é um passo enorme mostrares isso ao pai. Mas pelo menos é mais fácil. E não tens que lidar com a coragem para a abrires a boca!! :D
K.

Unknown disse...

x) pois, não se pode agradar a todos ao mesmo tempo, não é?

Também acredito que seja mais fácil mostrar o blogue em vez de ... Mas como lhe hei-de dizer que lhe quero mostrar um blogue que escrevi e que tem lá qualquer coisa que não tenho coragem para lhe dizer pessoalmente? Lol, não ligues, eu arranjo sempre algum senão em tudo o que se cruza na minha vida... Mas eu próprio ainda me estou a acostumar à ideia de ser gay, acho que ainda não é a altura para lhe dizer.

K. disse...

Tudo tem o seu timming.. por isso não te preocupes, quando a altura certa chegar, vais saber. Eu por exemplo, hoje, vivo com certezas daquilo que sou. Mas sei que nunca vou poder contar aos meus pais. Definitivamente não posso :)
Digamos que a minha relação com eles é demasiado violenta!! lol
No entanto, sei que posso ter outras pessoas com quem posso ser eu. E sei que me apoiarão sempre!
Não faço disso um bicho de 7 cabeças.
Estou a lixar-me pra que as pessoas comentem. Ou desconfiem. Sabes que mais? Eles nunca vão ter certezas de nada até verem, ou até ouvirem da minha boca. Até lá, podem levar a vida a suspeitar que eu tou nem aí !! :D

Unknown disse...

x) Bem visto... Eu, para umas coisas, sou bastante relaxado... Mas faço do desconhecido um bicho de sete cabeças. E é a primeira vez que me sinto com medo de contar algo aos meus pais... Anyway, como tu dizes, tudo te o seu tempo. :)

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D