sexta-feira, 15 de abril de 2011

Matemática...Oh, the doom!

Hoje de manhã acordei determinado em fazer os exercícios de matemática. Duas alíneas depois e já estava a desesperar. Não porque não conseguia fazer o resto, mas porque tinha perdido a vontade. Mas disse para mim mesmo que tinha de continuar a fazer os exercícios! Cheguei ao segundo exercício e fiquei a olhar para o papel. Comecei a pensar quando tinha de entregar o trabalho de férias, mas não me conseguia lembrar. Fui buscar o meu caderno. A data de entrega é dezasseis de Maio. Olhei para o papel onde tinha apontado os exercícios. Tenho de fazer vinte e seis exercícios até lá. Fiz umas contas rápidas e cheguei a uma conclusão. Daqui a dezasseis de maio são 28 dias, sem contar com este fim de semana e o dia de hoje. Então, tenho um mês (31 dias) para fazer 26 exercícios... Se fizer um exercício por dia, acabo uma semana ante da data de entrega. Limpei o suor da testa e corri para o PC. Estou farto de matemática... Mas como o K. me disse ontem e como toda a gente me está sempre a dizer, tenho de arranjar vontade para estudar... Não sei onde...

E houve outra coisa que não me saiu da cabeça. Um sonho que tive. Um sonho onde eu finalmente conhecia o meu Cavaleiro. Sonhei que estava no Parque das Nações, sentado em frente ao Tejo. Ele apareceu-me por trás, pousando as mãos nos meus ombros. De seguida, fê-las deslizar pelo meu peito, abraçando-me, e dando-me um beijo convidativo no pescoço. Depois, trincou-me levemente a orelha e sussurrou o meu nome. Daquela forma que só ele sabe fazer. Eu virei-me e beijei-o. Um beijo longo, demorado. Finalmente, ele sentou-se ao meu lado e pude vê-lo. Não me lembro da sua cara. Sempre que o tento fazer, apenas me lembro de uma imagem enevoada, como se os meus olhos estivessem húmidos e impossibilitados de ver com boa definição. Ele segurou-me a mão e falámos, rimos, relembramos. Depois ele passou a mão pela minha perna e levantou-se, apoiando-se no meu joelho. Ficou virado de frente para mim e voltou a beijar-me. Ele aproximou o seu corpo do meu e abraçou-me. Sussurrei o seu nome ao seu ouvido e ele beijou-me de novo o pescoço em resposta. Acordei com o nome dele nos lábios. Será que é ele o meu Cavaleiro? Não sei. Mas gostava que fosse.

3 comentário(s):

K. disse...

Tu e a Matemática, a Matemática e tu. xD Pronto, estás de férias, eu não te chateio mais com isso. Mas de vez em quando temos de fazer aquilo que nos dá menos prazer.

A trinca da orelha arrepiou-me como se tivesse sido a mim que aconteceu :S Também já eu tive sonhos semelhantes ao teu...

Unknown disse...

:| ai, ai, estes sonhos dão cabo de mim...

Lol, eu já disse que odeio matemática, mas preciso de gente como tu a insistir comigo senão eu não faço nada xD

Unknown disse...

Sei como é a Matemática... HORRIVEL!
Esse sonho deu-me que pensar, já agora, como é que ele se chamava?

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D