sábado, 2 de abril de 2011

Aniversários de Casamento....

O fim de semana não parece começar muito bem... Hoje, um casal amigo dos meus pais organizou um almoço para festejar o aniversário de casamento. Ora, eu não estou muito inclinado para ir. Primeiro, porque não me sinto à vontade no meio de multidões (sei que vai bastante gente), e depois, ainda menos confortável fico quando não conheço nem meia dúzia de pessoas que lá vão estar. Nem quando os meus amigos me convidam para sítio assim com muita gente que me é desconhecida, eu recuso. Tentei explicar isso aos meus pais, mas parece que eles não querem ceder. Houve já uma vez em que uma situação do género aconteceu e eu não fui; recusei-me a ir, aliás; e eles ficaram desiludidos. O que é sempre ótimo... E depois há uma outra razão... Eu assumi-me perante mim mesmo há pouco tempo, não gosto da ideia de não poder ter uma relação com outro rapaz, pelo menos não tão descontraída como se fosse com uma rapariga, e ainda por cima, vou para um sítio onde vão estar só a falar do tempo lindo que o casal passou junto, da felicidade que partilharam, do amor que ainda sentem um pelo outro... Quando eu não posso fazer o mesmo! Esse é outro fator que me faz sentir mal comigo mesmo e com o mundo em meu redor. Claro, essa segunda parte não é muito aconselhável contar aos meus pais, pelo menos por enquanto e ainda por cima netas circunstâncias de stress em que se dizem coisas que não se deve e que não se sente realmente. Ou que se sente realmente e que não queremos que se saiba... Claro, por outro lado não quero desiludir de novo os meus pais. Mas ainda me sinto pior em ir. Estou com medo de abater por completo, e perto disso já eu estou. E certas situações não ajudam em nada estes meus sentimentos reprimidos. Esta é uma delas. eu nunca fui um tipo extrovertido, apesar de ter facilidade em fazer amigos. Mas eu não sou daquele tipo de ter facilidade em fazer amigos porque vou alando com toda a gente que vejo na rua: sou mais do tipo de esperar que as pessoas venham ter comigo. E, como já disse, não me sinto confortável nas multidões... Sinto os olhos em cima de mim, como se todos me estivessem a observar, a testar... Paranóico? Nop, só um pouco envergonhado. Sim, porque ás vezes, mesmo quando são as pessoas que vêm falar comigo, eu fico um bocado calado, vou conversando, mas mais ouvindo. Prefiro ouvir do que falar. Gosto de ouvir as histórias de vida das outras pessoas. De qualquer das formas, hoje a minha mãe, uma das primeira coisas que me disse foi: "Não te esqueças que hoje temos o aniversário!" E eu respondi: "oh, olha, eu já disse o que te tinha a dizer." E ela exclamou logo: "Pois! E eu também já disse muita coisa! É incrível, é sempre a mesma coisa!". Obrigado mãe por compreenderes como me sinto... E depois ainda me pergunto porque é que tenho tanto medo de lhes contar que sou gay...
Vou terminar por aqui... Daqui a pouco devo ir cortar o cabelo (melhor dizendo, a juba, que isto já está um bocadito para o grande...).

Cheers! :)

1 comentário(s):

Ikki disse...

Apenas uma ideia! A vida não é feita apenas das coisas que gostamos e nos fazem sentir bem. Também é feita das situações desconfortáveis e que nos deixam em baixo. Faz-nos crescer!
Para que serve cairmos? Para aprendermos a levantar-nos!
Eu já tive de apanhar muitas secas, muitos momentos que não gosto, só porque sei que os meus pais ficam felizes por eu estar ali!
Faz parte de retribuir o amor e carinho que nos dão!
É apenas uma ideia para pensares!

Um abraço e força,
Ikki

Publicar um comentário

Ah, vais aproveitar para escrever um comentário? :3 Obrigado! Feedback é sempre bem vindo ;)

Cheers =D